Qui, 25 de Novembro de 2021
Rua Delfino Facchina, 61 (Cidade Ademar) - Americanópolis - São Paulo/SP - CEP 04409-080
Renuniões Públicas
Tarde 2ª,  4ª,  e Sábado: das 14hs30 às 16hs00
Noite 2ª, 3ª, 4ª, 5ª e 6ª das 20hs30 às 21hs30 
Renuniões Públicas
Tarde 2ª,  4ª,  e Sábado: das 14hs30 às 16hs00
Noite 2ª, 3ª, 4ª, 5ª e 6ª das 20hs30 às 21hs30 

Evangelho

O Mestre Inesquecível - Augusto Cury



Atualizado: 25/11/21

 
Vol. 5 - O Mestre Inesquecível – Cap.3
A personalidade dos discípulos
371 - A personalidade dos discípulos

 
Vamos analisar a personalidade de alguns discípulos antes de encontrarem o Mestre da Vida. Os textos das biografias de Jesus falam muito pouco sobre os discípulos. Mas, indiretamente, nos revelam dados sobre alguns deles. De Felipe e André, muito pouco. De Bartolomeu, Tiago (filho de Alfeu), Tadeu e Simão (o zelo te), quase nada é mencionado.

De Mateus, sabemos apenas que era um coletor de impostos, um publicano. Os publicanos eram odiados pelos judeus porque estavam a serviço do Império Romano. Vários eram corruptos e extorquiam o povo. Os fariseus os rejeitavam. Mateus era uma pessoa sociável.

Quando Jesus o chamou para discípulo, ficou tão empolgado que fez uma festa de confraternização com seus amigos. Na festa estavam presentes outros coletores de impostos e homens de má reputação. Ao contemplar a cena, os fariseus questionaram a reputação de Jesus. Alguém que fala sobre Deus não poderia se relacionar com gente daquela laia, pensaram eles.

Mateus era uma pessoa detalhista e deslumbrada por Jesus. Por ser coletor de impostos, devia ter noção de escrita. Provavelmente fez anotações nos tempos em que andou com o mestre, pois seu evangelho contém riquezas de detalhes que só um exímio observador poderia notar. Mas essas anotações demoraram anos para serem reunidas em livros. Por quê? Os discípulos transmitiam oralmente a mensagem de Jesus.

A palavra escrita não era importante para eles naquele tempo. Foi somente depois que novas gerações vieram somar-se aos seguidores de Jesus e a tradição oral começou a se diluir no tempo que as comunidades cristãs sentiram a necessidade de reunir as anotações e recordações em livros, chamados de evangelhos. O Evangelho de Mateus foi escrito provavelmente 30 anos depois da morte de Jesus.

Podemos investigar apenas alguns traços da personalidade de Tomé. Era rápido para pensar e rápido para desacreditar. Andava segundo a lógica, alicerçado na dúvida. Existe uma dúvida positiva que abre as janelas da memória, quebra os paradigmas, recicla os preconceitos e expande a arte de pensar.

Mas a dúvida de Tomé fundamentava-se na autossuficiência. O mundo tinha de girar em torno das suas verdades, impressões e crenças. Sua dúvida estava bem próxima da desconfiança paranoica, pois ele desconfiava de tudo e de todos.

Você vive a dúvida saudável ou a doentia?
Da personalidade de Tiago, filho de Zebedeu, descobrimos algumas características descritas no evangelho de seu irmão João. Tiago era um jovem ousado, ambicioso e impaciente. Mas tornou-se um dos mais íntimos amigos de Jesus. Após a morte do mestre foi martirizado por causa do seu amor por Jesus e da defesa de seus princípios.
Gostaria de ressaltar as características de três discípulos: Pedro, João e Judas Iscariotes. Também analisarei com mais detalhes a personalidade de Paulo, que veio a integrar o grupo de seguidores oito anos depois da morte de Jesus.

As características da personalidade de Pedro e de João representam, provavelmente, os traços principais do caráter da maioria dos discípulos. Nós as conhecemos a partir de seus comportamentos evidentes e das reações percebidas nas entrelinhas, contidos tanto nos evangelhos quanto nas cartas que escreveram.

As características da personalidade de Judas Iscariotes - que tinha a personalidade mais destoante do grupo - foram extraídas a partir da análise dos evangelhos. As de Paulo foram baseadas na análise das suas múltiplas cartas, principalmente das palavras e reações reveladas nos momentos de maior tensão.

Antes de começar a comentar a personalidade dos discípulos, gostaria de fazer uma pergunta ao leitor. Quem foi o discípulo mais equilibrado? Fiz essa pergunta a várias pessoas enquanto escrevia este livro, e a maioria errou.

Como veremos, foi Judas Iscariotes. Era o mais dosado, sensato e discreto dos discípulos. Judas, provavelmente, seria a única pessoa que passaria numa prova de seleção se usássemos os critérios atuais de avaliação da personalidade e desempenho intelectual.

Primeiramente, vou descrever as características negativas da personalidade de Pedro, de João e de Paulo, porque elas sobressaem mais do que as positivas. A exceção será Judas, de quem descreverei primeiro as características positivas da sua personalidade, porque são as que mais sobressaem. Será de grande ajuda para entendermos a diferença entre ele e os demais discípulos.

Jesus foi ousadíssimo ao escolher seus discípulos. Pagou caro por isso, pois eles lhe deram constante dor de cabeça. Mas parecia gostar deles do jeito que eram. Ele não se importava com as decepções. O Mestre da Vida era um artesão da alma humana, queria lapidar uma joia única, com brilho único, de único valor.

Estudos dos Evangelhos

Click no link abaixo, para ver o livro desejado

 LIVRO EM ESTUDO   O MESTRE INESQUECÍVEL - AUGUSTO CURY
 LIVRO TEMA:   O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO