Sáb, 27 de Junho de 2020
Rua Delfino Facchina, 61 (Cidade Ademar) - Americanópolis - São Paulo/SP - CEP 04409-080
Renuniões Públicas
Tarde 2ª,  4ª,  e Sábado: das 14hs30 às 16hs00
Noite 2ª, 3ª, 4ª, 5ª e 6ª das 20hs30 às 21hs30 
Renuniões Públicas
Tarde 2ª,  4ª,  e Sábado: das 14hs30 às 16hs00
Noite 2ª, 3ª, 4ª, 5ª e 6ª das 20hs30 às 21hs30 

Sabedoria do Evangelho

Carlos Torres Pastorino




Atualizado: 27/06/2020


SABEDORIA DO EVANGELHO - VOLUME 3
208 – JESUS ANDA SOBRE A ÁGUA-3
 
João, cujo Evangelho (e Epístolas) foram escritos com a finalidade senão primordial, pelo menos bastante clara, de combater os "docetas" (que afirmavam ser "fluídico" o corpo físico de Jesus que, segundo eles não era homem, mas um agênere), não acena à impressão que os discípulos tiveram de que se tratava de um fantasma, já que o fantasma é, exatamente, um agênere.

Os "docetas", assim cognominados primeiramente por Teodoreto (Epist. 82) e por Hiplio (Philosophúmena, 8, 8-11), que criaram o nome "docetas" do verbo grego dokéo, que significa "parecer", afirmavam que Jesus não possua corpo físico de carne, mas sim "corpo fluídico", um "corpo de fantasma". Diziam que tudo o que fizera fora apenas "aparência" e não realidade. Não nascera, nem crescera, nem comera, nem morrera na cruz.

"Pareceu" que houve tudo isso, mas "não houve", era tudo MENTIRA e FINGIMENTO. A razão em que se baseavam era a crena de que tudo o que é material é imperfeito e impuro, pois é obra do "Princípio do Mal", que eles identificavam com o Deus Criador do Velho Testamento, YHWH, que para eles era Satanás.

Como Jesus apresentara o "Princípio do Bem", o PAI, não podia ter-se submetido ao Princípio do Mal, e portanto, não poderia ter tido corpo físico carnal.

O docetismo foi combatido desde o início de seu aparecimento por uma testemunha ocular da vida de Jesus, por seu "discípulo amado", João Evangelista, que protesta ardentemente contra essas invenções absurdas; vemos a refutação do docílimo em muitos passos do Evangelho de João, mas sobretudo em 1:14, e nas Epístolas (Primeira, 2:22; 4:2; 5:6,2.0; e Segunda, vers. 7).

Combateram-no ainda no 1º. século Inácio, nas Epístolas ad Trai., 9 f; ad Smyrn. 2:4; ad Ephes. 7; e Policarpo, ad Phil. 7; e logo após por Clemente, de Alexandria, Strom., 7 e Teodoreto, Haeret. Fab., 5. Modernamente volta a pretender insinuar-se entre espiritualistas essa teoria esdrúxula, que contraria os pontos básicos do próprio Espiritualismo que só admite um Princípio Criador, o do Bem, e que sabe que a matéria (a carne) é tão nobre, pura e santa quanto o espírito, pois é apenas a condensação do espírito; e sabe que todas as criações divinas são perfeitas, inclusive a matéria.
 

Sabedoria do Evangelho

Click no link abaixo, para ver o livro

  LIVRO EM ESTUDO  SABEDORIA DO EVANGELHO (VOL. 3) - PASTORINO